Palavra do Presidente

Prof ANTONIO CARLOS ALONSO DEL NEGRO

Senhoras e Senhores,

Quis o destino que, após 30 anos de serviço nesta escola, coubesse a mim presidir a nossa Associação de Diplomados, entidade criada pela segunda turma de estagiários da ESG, em 1951, por iniciativa do Almirante Benjamim Sodré, com objetivo muito bem definido, qual seja o de levar às diversas comunidades do País os recursos conceituais teóricos desenvolvidos na ESG sobre Política e Estratégia, eminentemente nacionais, hoje com foco, principalmente nos problemas de Segurança, Defesa e Desenvolvimento, assim como o Método de Planejamento Estratégico da ESG.

Esse conjunto não era -e não é- pouco, em lugar algum, embora hoje muitos imaginem ser possível obter esses conteúdos por via da Internet –o que pode ocorrer- mas são obtidos elementos em estado bruto, o que quer dizer que não chegam acompanhados de uma adequada compreensão do sentido e do alcance deles na vida social.

Neste caso, como parece frequente agora, a abundância de informações produz mais palavras do que ideias e mais desnorteia do que orienta a ação.

Aliás, o trabalho docente de todos os tempos é artesanal: preparar o alunado para extrair do universal do discurso os elementos necessários ao caso singular a seus cuidados.

Andaram muito bem os que nos antecederam e deram partida a esta iniciativa, de vez que cumpria vencer ontem o isolamento, e um certo nível de desconhecimento, de parte de nossa elite.

Assim, o serviço da ADESG ganha uma dimensão que, a princípio não se percebia.

Passa do nível pedagógico, que é muito valioso, para incorporar, também, um verdadeiro esforço de desenvolvimento da cidadania em nossas comunidades políticas, parcelas consideráveis da elite que acorre aos nossos Cursos.

A ADESG está solidamente ligada a estas ideias e, não fosse isto, poderíamos  nos descuidar do propósito que historicamente nos foi legado de difusão e multiplicação dos conhecimentos gerados na Escola Superior de Guerra.

Entendemos como mais uma experiência a ser avaliada, o fenômeno recente de obsessão por títulos acadêmicos, o que levou a nossa Instituição, tal como ocorre com outras, a desviar-se, aos poucos, de seu projeto original, realizando, na prática, um outro projeto de perfeições acadêmicas, afastado de nossas atribuições estatutárias, o que, de qualquer forma, dificultou o regular desenvolvimento do projeto pedagógico que nos cabe realizar. 

Não nos escapa que caminhamos para uma conjuntura política difícil no País, após décadas de administrações ruinosas aos interesses nacionais, cuja superação nos parece bastante difícil, face a características de nossa organização político-administrativa e à própria conjuntura econômica internacional.

A ADESG, por guardar relações muito estreitas com a Escola Superior de Guerra, incorpora nas suas tarefas a necessidade de apresentar e discutir questões fundamentais de nosso País, dentre elas a inquietante questão relativa a quais valores éticos e morais suportarão o vão extraordinário desta ponte que se lança para o futuro de uma potência complexa como é o Brasil. 

Como se sustentará a construção sócio política de amanhã e nela como se situarão as questões vitais de Segurança e Defesa?

Que princípios irão embasar as Instituições e o Estado?

Seguramente não serão os que favorecem a visão da prevalência do conflito social em todos os momentos da vida nacional, eis que estes esgotaram a sua missão histórica e se retiraram completamente, embora ainda influenciem, em nosso País, comportamentos políticos, numa ou noutra circunstância. 

Os estudos da ESG, difundidos pela ADESG, são convincentes, ao mostrar que os valores perenes da Nação Brasileira são aqueles que defluem de seu processo histórico-cultural, quer dizer, de sua formação social e política e têm por centro, no plano ético, as categorias imanipuláveis do Bem Comum e da Pessoa, cujo “primado sobre as estruturas e as coisas “ é considerado definitivo.

E, no plano Metodológico, a racionalidade técnica suportada pelo recurso  dialógico do trabalho em equipe multidisciplinar, institucionalmente legítima, buscando lograr, com o trabalho duro de todos, o desenvolvimento material, a coesão de todas as classes sociais e  a integração política, precisamente pela superação das tensões e do conflito.

Apesar do avanço da opinião em geral sobre assuntos das Ciências Sociais, em nosso País, parece-nos conveniente reiterar, ainda nos valendo da sabedoria de nossa Escola-, que o Poder, a Política e a Economia só se justificam quando servem à sociedade, ou seja, todas as instituições sociais estão ordenadas à Pessoa.

E não o contrário...

A nossa administração na ADESG, minha e da Diretoria, estará voltada para bem cumprir a missão que nos cabe, qual seja, a de levar o conhecimento bem organizado da ESG a várias partes do País, cujas elites locais estão ansiosas por receber uma orientação sistematizadora dos conteúdos de que já dispõem, mas que carecem, tantas vezes, de objetividade prática, de um direcionamento a objetivos que os torne, na realidade, úteis.

Este tem sido, aliás, o efeito do que ensinamos: trazer convergência e sentido a um importante elenco de conhecimentos que, à falta deste trabalho,  carecem de uma orientação que os faça produzir resultados e servir verdadeiramente às nossas comunidades, possibilitando que elas, com os recursos conceituais que lhes proporcionamos, possam integrar-se no esforço árduo e de longo prazo da nacionalidade pela construção de relações sociais transitivas e simétricas, geradoras da liberdade, do progresso e da paz social.

É na simplicidade desta missão que vamos dobrar os nossos esforços.

Não pretendemos reinventar a ADESG para transformá-la em mais uma agência distribuidora de certificados acadêmicos.

Vamos, isto sim, prestar um serviço efetivo, real, bem elaborado e bem administrado que proporcione ao estagiário participante aquilo que ele pode efetivamente alcançar, e talvez, até, um pouco mais, e que lhe seja útil.

Consideramos a pós-graduação lato senso o limite de nossas possibilidades.

No domínio do serviço de difusão cultural, vamos realizar o melhor esforço para manter um site ativo .

Vamos voltar a realizar a Convenção Nacional, tão esperada por todos os  adesguianos.

Também voltaremos a dinamizar publicações impressas, além das editadas via Internet, para os que buscam evolução intelectual e, em certos casos,  autodesenvolvimento.

E vamos reunir os nossos professores e examinar com eles a melhor forma de tornar o nosso trabalho atual mais atraente.

As nossas Delegacias são repartições essenciais para este nosso trabalho e deverão receber atenção máxima da Administração Nacional e, junto com elas, vamos retificar algumas situações administrativas do ensino que precisam ser melhoradas.

A transferência para Brasília do campus principal da ESG será acompanhada, inevitavelmente, por profundas transformações no escopo de sua ação e também no seu ambiente acadêmico.

A ESG poderá, sempre, contar com a colaboração da minha Presidência, no que couber, para nos ajustarmos, todos, às novas circunstâncias.

Para o cumprimento de tão árdua tarefa, conto e contarei com uma equipe de profissionais de diversas áreas de conhecimento, e com larga experiência no trato dos problemas em áreas acadêmicas e administrativas da ADESG, sendo, em grande parte, formada por integrantes do Corpo Permanente da Escola Superior de Guerra.

Cumprimento e homenageio o meu antecessor, General Umberto Andrade, que prestou um serviço dedicado, à altura das necessidades da nossa Instituição, preparando-a para novos avanços.

Estendo meus cumprimentos à Chapa 2, nossa opositora no recente pleito, aqui representada pelo seu candidato à Presidência, Economista William Saab e os seu nobres companheiros, todos com muitos anos de dedicação à nosssa ADESG.

Agradeço, sinceramente, a presença de todos os Delegados, Representantes e demais adesguianos aqui presentes.

Agradeço, reconhecido, o apoio que o Comandante da ESG deu à nossa disputa democrática de 28 de novembro, proporcionando as condições para que o processo tivesse um desfecho pacífico e normal, apesar das posições, em alguns momentos, -até, um pouco “acaloradas”- dos contendores de ambas as Chapas.

Por derradeiro, espero contar sempre com o apoio institucional da ESG, e o apoio pessoal de seu Comandante, de modo que a ADESG se sinta o que é e sempre foi: um prolongamento fiel do cumprimento da  missão da Escola Superior de Guerra.

Muito obrigado!