NotíciasSala de Imprensa

Secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro é o convidado do almoço da Adesg de novembro

Secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro é o convidado do almoço da Adesg de novembro

No almoço mensal da Adesg desta quinta-feira (29/11), o presidente da associação, General Umberto Andrade, apresentou e deu boas vindas ao convidado para a reunião, o secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, General Richard Nunes. Em seu discurso, Andrade definiu a diferença entre segurança, um direito inalienável do cidadão, e defesa, conjunto de ações que se contrapõem à ameaça. “O tema segurança pública há tempos domina as discussões nacionais e a população se pronunciou nas urnas demonstrando não concordar com a atitude negligente como o tema tem sido abordado. E um estado sob intervenção, com um Oficial-General na função de secretário de Segurança é uma prova da mudança”, afirmou o general Umberto Andrade.

O secretário de Segurança declarou que a intervenção se aproxima do término e “sua preocupação é se o Estado dará continuidade ao legado”. O General Nunes disse que foi surpreendido com o decreto presidencial de intervenção, sem que fosse consultado. Portanto, ao chegar à cidade não havia uma estratégia, política ou plano de segurança traçado. “O Estado do Rio estava em processo de desconstrução, levado ao descalabro, com as Polícias Civil e Militar em total desestruturação, com as corporações sem liderança e desmotivadas”, frisou.

Richard Nunes criticou a posição do governador eleito Witzel de criar duas secretarias, uma para cada corporação e ressaltou: “o esforço para integrar a Polícia Civil e a Militar foi uma arte e dar status de secretaria é acirrar ainda mais as demandas de política e o corporativismo, além de estimular a busca de cargos e gratificação. Polícia não combina com política partidária”.  O secretário de segurança encerrou: “o preço da liberdade é a eterna vigilância, por isso agradeço o convite para participar desta reunião com pessoas de seriedade, responsabilidade e patriotismo”.

Edson Schettine de Aguiar parabenizou a Adesg pela palestra e a classificou como “excelente”. O ex-diretor da Adesg, Sergio Lazoski, explicou que há cinco anos não participava dos encontros, por residir fora, mas “estava feliz por reencontrar e rever amigos e a partir de agora estará mais frequente na reunião, já que retornou ao Rio”.

Satisfeita também com o reencontro estava Deise Triarte, da turma de Esg de 1998: “trabalhei na Embratel há muito anos e hoje revi um colega de trabalho daquela época”. O advogado Bruno Leite de Almeida, da turma de 2011, disse que o convidado despertou seu interesse em participar do almoço, “por ser um tema importante para todo cidadão como é segurança pública e felizmente, hoje, conseguiu um espaço na agenda”.

O evento foi encerrado com algumas perguntas da plateia e a confraternização entre todos, encerrando os encontros de 2018.